Categoria Arquidiocese do site


Vamos conhecer o Santuário da Padroeira do Rio Grande do Sul?


  Postado dia 05/11/2018 categoria Arquidiocese por usuário Karina Freitas.


O Santuário Basílica se prepara para o maior evento religioso do Estado, a 75ª Romaria Estadual da Medianeira, que acontece no próximo dia 11 de novembro.

Pensando nisso, preparamos um guia para que os Romeiros e Devotos de Nossa Senhora Medianeira possam conhecer todas as belezas deste Santuário que acolhe a todos!


1.  Imagem da Medianeira

A imagem milagrosa da Medianeira, a primeira pintada por Ida Stefani com uma coroa de ouro, ofertada de Santa Maria – não sai mais daquele altar. E o sinal sagrado colocado por Deus no Santuário para vos mostrar seu amor maternal. É a padroeira do Rio Grande do Sul e a razão de ser do Santuário Basílica, sempre acolhendo seus filhos e filhas.

2.  Cristo Mediador –

O cristo Mediador é o centro da Basílica. É o crucificado, o ressuscitado, o glorioso. Com seus braços abertos, Ele acolhe e abraça cada um que entra no Santuário. É o Filho da Medianeira.

3.  Capela do Santíssimo

No meio do esplendor, entre o colorido dos vitrais, está ali como pão da vida!

4.  Vitrais -

Os vitrais, obra de Emílio Zanon de Guaporé, RS,  já falecido, contam a história da devoção à Medianeira, do Santuário, das Romarias e do Altar Monumento.

5.  Monumento da Bíblia

Saindo da Basílica, encontramos no jardim, à direita, o monumento à Bíblia, como lembrança do Concílio do Vaticano II, que devolveu a Bíblia nas mãos do povo.

6.  Secretaria

Descendo pela lateral direita, encontramos a Secretaria, com as lembranças, objetos sacros, livros e imagens da Medianeira.

7.  Cripta -

Seguindo, entramos na Cripta, o primeiro Santuário, toda de pedra basalto, com a entrada do memorial Medianeira. Com relíquias de falecidos depositadas, o altar de Santo Ivo. O túmulo de Dom IvoLorscheiter e de Dom Érico Ferrari, bispos que impulsionavam a devoção à Medianeira. Também encontramos o altar com todas as imagens de Nossa Senhora dos diferentes Santuários, com as bandeiras dos seus países, que vieram participar das Romaria, destacando-se a “Mandonna Della Salute” trazida de Veneza, Itália, pelo PatriarcaAlbino Luciani. Ali está o Memorial do Pe Inácio Vale, SJ.

8.  Fonte Nossa Senhora Medianeira

Saindo da Cripta, descendo à direita, chegamos até a Nova Fonte de água da Medianeira, inaugurada no dia 12 de outubro, marco da fé e da devoção para alegrar os devotos e oferecer a água da Medianeira. Foi toda construída com doações.

9.  Residência dos padres –

Onde residem os padres que trabalham ou estão de passagem pelo Santuário.

10.  Monumento aos 300 anos de Aparecida

Seguindo o contorno da parede de pedras, chegamos na praça das escadarias, onde está agora o Monumento dos 300 anos de Aparecida, também doação recebida que vem enriquecer o Santuário. Próximo está a Capela dos Milagres, em organização.

11.  Capela das Velas –

A capela das velas, com um bom espaço para a devoção, oração e acender as velas para fortalecer a fé.

12.  Sinos

O maior é bem antigo, já com 80 anos. O outro, menor, doação dos irmãos Maristas, por ocasião do jubileu do ano 2000. O som se esparrama numa melodia alternada e sonora.

13.  Altar monumento

No Parque está o Altar Monumento que serve para congregar as Romarias e outros eventos. É majestoso e simbólico.

14.  Salão Paroquial

Bem na outra extremidade do Parque estão os salões do Santuário: Praça de alimentação.

·  Histórico

o  1929

Padre Ignácio Rafael Valle, nascido em Nova Trento (SC), em 22/09/1902, e falecido em Porto Alegre, em 28/05/1982. Foi o Iniciador e grande incentivador da devoção à Medianeira. No ano de 1929, o Papa Pio XI concede à Diocese de Santa Maria o privilégio da Festa de Nossa Senhora Medianeira, com Missa própria e Frater Valle, cumprindo sua promessa.  Manda vir da Bélgica um “Santinho” com a estampa da Medianeira. Em 12/11/2005, os restos mortais do jesuíta Pe. Ignácio R. Valle foram transladados do Cemitério dos Jesuítas (S. Leopoldo) para a Cripta do Santuário.

o  14/09/1930

Realizou-se a Primeira Romaria Diocesana, pedindo a intercessão da Medianeira.

o  1975

Inauguração do Altar Monumento, por ocasião da 32ª Romaria Estadual, por D. Albino Luciani, Cardeal patriarca de Veneza, que em 1978 tornou-se o Papa João Paulo I.

o  1985

Inauguração Oficial do Santuário, por D. Carlos Furno, Núcio Apostólico do Brasil, com a presença dos Bispos Gaúchos. Em 1987, passou a chamar-se Santuário Basílica da Medianeira, por decreto Especial da Sagrada Congregação do Culto Divino.